quinta-feira, 11 de dezembro de 2008


"Apenas gente inútil e de vida amarga"...



A ler aqui e aqui.


"(...) Para esse curioso grupo farcista, bem como para os neófitos professos da "nova esquerda" (velha direita, entenda-se), a "defesa" de Lurdes Rodrigues é uma questão de emprego, de orfandade, de requinte fradesco, de azedume romântico, de ociosidade, de copiosa ignorância. Não há nada de ingénuo e íntegro, por ali. Apenas gente inútil e de vida amarga."

in "Almocreve das Petas"